segunda-feira, 19 de setembro de 2016

o (meu) bom gigante

os receios do pai de ter um filho no 1º ano do 1º ciclo com 1,63m não são assim tão infundados... durante o verão, o pé cresceu um número e os sapatos 31 (alguns por estrear) já não lhe servem. as t-shirts parece que encolheram. os casacos estão todos com manga a 3/4. depois de um fds às compras de material escolar, cheira-me que o próximo vai ser passado a comprar sapatos (e alguma roupa).

caso alguém esteja a questionar-se de onde é a mochila: é de edição limitada e personalizada, feita pela mais prendada e querida tia-avó do mundo.

segunda-feira, 12 de setembro de 2016

"school is the path, not the point"

nisto de sermos pais não há certezas absolutas. educar é um equilíbrio frágil, em que as decisões que tomamos nunca são validadas a cem por cento e não há como saber como teria sido se tivéssemos optado por outros caminhos. a par desta pressão invisível mas constante, há a pressão bem tangível da sociedade, do "porque é assim...", do "se fosse comigo...", do "a filha da vizinha isto e aquilo...", que se agudiza em determinadas alturas da vida. é o caso da entrada para a escola primária (que hoje se designa por ensino básico) para as crianças nascidas entre 15 de setembro e 31 de janeiro. é o caso do meu filho. faz seis anos em dezembro, logo, é vaga condicionada. inscrevi-o na escola pública para o 1º ano. não entrou. a escola decidiu por nós. mas decidiu na nossa direção. sei que cognitivamente está preparado. já lê algumas coisas. adora letras, mapas e bandeiras. é enorme em tamanho (ontem o pai, ainda a duvidar um pouco da nossa decisão, dizia em tom de brincadeira: "ele vai entrar na escola primária com 1,60m e 63kg!"). mas também sei que é muito imaturo emocionalmente. e que num ano muita coisa muda. acho sinceramente que há uma pressa desmesurada em crescer, em fazer coisas de adulto. já para não falar da obsessão em torno do aproveitamento escolar. estou realmente cansada dessa pressão... "já conta até quantos?", "ainda não anda na natação?", "quando vais pô-lo na catequese?", "não estás a protegê-lo em demasia?"... confesso que hoje, ao ver no mural de Facebook muitos filhos de amigos e conhecidos do ano do Manel a iniciarem o 1º ano do ensino básico, me deu um apertozinho no coração. será que tomámos a decisão certa? acredito que sim, porque o caminho vai-se caminhando... e o coração também se me aperta de cada vez que olho para o meu filho, porque gostava que não se sentisse pressionado para crescer à bruta, e porque quero aproveitar cada bocadinho e sinto o tempo a escorrer-me pelos dedos...

sexta-feira, 9 de setembro de 2016

conheci uma blogger

os nossos planos de irmos juntas às compras à Maria Granel saíram furados, porque o horário da loja nos trocou as voltas... acabámos a tomar um café e a conversar por mais de uma hora. e que bom que foi! eu ouvi mais do que falei (acho que é defeito profissional!) e comprovei que a Cris é tal e qual como se mostra no seu ver-de-água. e ainda trouxe comigo um empréstimo precioso e que (espero!) me será muito útil: o livro Alegria! da Marie Kondo AKA guru do "destralhanço".
um beijinho Cris e até breve.

quarta-feira, 7 de setembro de 2016

Your heart got a story with mine


quinta-feira, 1 de setembro de 2016

deves ter a mania que és crítica gastronómica

É de esperar que sítios com a palavra "pão" ou "padaria" no nome tenham um pão de boa qualidade, certo? CERTO! Infelizmente, não é de todo o que se passa... Começando pela tão badalada Padaria Portuguesa: o conceito é giríssimo, que é... mas na prática, o serviço é geralmente muito mau, em termos de higiene deixa muito a desejar, e o pão - que deveria ser o produto rei - é mau.




Hoje, num percurso diferente para o trabalho, dei com um bonito toldo preto com a inscrição "Fábrica do Pão". Apesar do pé atrás, lá resolvi dar o benefício da dúvida... mas desiludi-me. Um espaço giríssimo, enooooorme, bem decorado (como se vê nas fotos), um sumo de abacaxi delicioso feito no momento, mas... e o pão, perguntam vocês? (não perguntam nada, mas eu gosto de pensar que sim...)... de todas as variedades e feitios, com sementes e sem sementes, das farinhas mais improváveis... mas uma bela porcaria com M grande na sua essência!

Das duas uma... Melhorem a qualidade do pão ou mudem de nome, 'tá?

terça-feira, 30 de agosto de 2016

da raça humana. no seu lado mais negro.


duas pessoas.
um homem. uma mulher.
podia ser em qualquer ponto do globo.
é num dos lugares mais proscritos num dos países mais pobres do mundo.
um bordel em Bangladesh.
em fotos. AQUI.

Nel mezzo del cammin di nostra vita / mi ritrovai per una selva oscura / ché la diritta via era smarrita


esta imagem super poderosa de Niels Bo Bojesen acompanha o artigo "Nada pára a máfia. Nem os sismos", que pode ser lido no COURRIER INTERNATIONAL.
fazer negócio com a dor de alguém. com a desgraça de muitos. fazer negócio. é o negócio da máfia.

segunda-feira, 29 de agosto de 2016

So let them build their righteous Tower / Our blazing hearts will burn it down / We are, we are, soldiers of the light / And we will glow


dúvidas que me assistem

desde quando é que as toalhas de praia passaram a ser redondas?